Terça-feira, 23 de Julho de 2019
GARANTIA
Dnit promete a vereadores e prefeitos entregar obras da BR-381 entre Barão e Caeté até dezembro

Órgão garantiu que os trabalhos no lote 7 não estão paralisados e que máquinas retornam à rodovia nos próximos dias

Publicado em 20/03/2019 - 17h34
Comitiva do Médio Piracicaba fez cobranças sobre BR-381 ao Dnit - Foto: Acom CMI

O coordenador de Engenharia do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit) em Minas Gerais, Sergio Garcia, garantiu a prefeitos e vereadores da região do Médio Piracicaba que as obras de expansão do trecho que compreende Barão de Cocais e Caeté serão entregues até 31 de dezembro deste ano. A informação foi repassada em reunião nesta quarta-feira, 20 de março, na sede do órgão, em Belo Horizonte.

LEIA EDITORIAL:

Editorial: “BR-381: Rodovia da Morte e das Promessas”

E MAIS:

+ Deputado federal sobre BR-381: “Naturalmente, deverá ser privatizada”
Senadores dizem que vão “botar pressão” pela retomada das obras

Segundo Garcia, as obras não foram paralisadas. À comitiva regional, o coordenador argumentou que a retirada de máquinas e trabalhadores entre o fim do ano passado e o início de 2019 se deu por causa do período de chuvas e aumento do tráfego em função das férias. Ele afirmou que os trabalhos serão retomados nos próximos dias no lote 7, trecho de quase 40 quilômetros que vai do entroncamento do Rio Una, entre São Gonçalo do Rio Abaixo e Barão de Cocais, ao acesso à MG-435, em Caeté.

Dados do movimento Nova 381 mostram que o lote 7, executado pelo consórcio Brasil/Mota/Engesur, tem 72,03% das obras concluídas. De acordo com o que foi repassado pelo coordenador do Dnit aos prefeitos e vereadores nesta quarta-feira, o órgão em Brasília aproveitou esse período de inatividade de obras para conseguir licenças ambientais que estavam travadas. Sérgio Garcia também comentou que sete frentes de terraplanagem estão bloqueadas por processos ajuizados, sendo que as desapropriações são as que mais interferem.

Participaram da reunião os prefeitos de Santa Bárbara, Leris Braga; Ferros, Raimundo de Menezes Carvalho Filho (Diquinho); de Bom Jesus do Amparo, Dário Motta; e de Nova União, Ailton Antônio Guimarães Rosa; além do vice-prefeito de João Monlevade, Fabrício Lopes, do subsecretário de Comunicação da Prefeitura de Itabira, Ricardo Guerra, e vereadores de Itabira, Nova União e Santa Maria de Itabira.

O encontro foi articulado pelo vereador itabirano Allaim Gomes, por meio do deputado estadual Tito Torres, outro que esteve na reunião com o representante do Dnit. Em contato com DeFato Online, Allaim, que durante reunião da Câmara chegou a falar até mesmo em protesto na rodovia, disse estar mais tranquilo após as informações do representante do órgão federal.

“Agendamos esta reunião para mostrar nossa insatisfação com a situação da BR-381, uma rodovia muito importante para toda a região. Levamos as reivindicações de melhorias dos trechos mais danificados e correção dos desvios que confundem os motoristas. Com certeza, a gente sai mais tranquilo com a garantia de que as obras não foram paralisadas”, comentou o vereador.

O coordenador do Dnit também disse ao grupo que as obras de manutenção da rodovia estão em andamento. Ele argumentou que os buracos se acumularam ao longo da via nos últimos meses porque o contrato com a empresa responsável por esse trabalho de conservação se encerrou no início de janeiro e demorou um tempo para ser renovado.  

Políticos da região conversaram com coordenador do Dnit, Sérgio Garcia – Foto: Divulgação

Processo arrastado

As obras de expansão da BR-381 se arrastam há mais de quatro anos. O cronograma inicial era de que tudo estivesse pronto em fevereiro de 2017, mas, dois anos após o prazo, dos 303 quilômetros entre Belo Horizonte e Governador Valares, apenas 30 quilômetros de novas pistas foram entregues.

Até hoje, apenas os lotes 3.2 e 3.3, que compreendem 2,1 km de intervenções, são considerados concluídos. Os lotes 3.1 (na região do Vale do Aço) e 7 (entre Barão de Cocais e Caeté) estão com obras em andamento, mesmo assim, o lote 7 sofrerá redução de repasses determinado pelo Tribunal de Contas da União (TCU). O órgão argumenta que o pavimento usado pelo consórcio responsável pelas obras é de má qualidade e precisa ser melhorado.

O lote 4 está em processo de atualização de projeto, segundo o Dnit. Enquanto isso, os demais lotes, 1, 2, 5, 6, 8A e 8B, voltaram à estaca zero. Todos dependem de novos projetos e licitações para saírem do papel. Um relatório emitido pela Controladoria Regional da União no Estado de Minas Gerais (CGU-MG), no fim do ano passado, apontou que esses lotes não têm projetos consistentes para serem concluídos e precisam voltar para a prancheta.

Novo trevo de Itabira segue em construção na BR-381 – Foto: Movimento Nova 381

Privatização em estudo

Com a duplicação tão arrastada e cheia de complicações, o governo de Jair Bolsonaro estuda conceder a rodovia à iniciativa privada. Em reunião com o vice-governador de Minas Gerais, Paulo Brant, o ministro dos Transportes, Tarcísio Gomes de Freitas, afirmou que iria qualificar a BR-381 no conselho do Programa de Parcerias de Investimentos para a privatização.

Tarcísio se reunirá com o vereador de Itabira, André Viana, no dia 9 de abril, em Brasília, para tratar também da BR-381.


Copy Protected by Chetan's WP-Copyprotect.