Sábado, 25 de Maio de 2019
RODOVIA DA MORTE
“Naturalmente, deverá ser privatizada”, diz deputado federal Lincoln Portela, em Itabira, sobre a BR-381

Parlamentar próximo ao presidente Bolsonaro opina que rodovia seguirá o destino de outras estradas federais e ser concedida à iniciativa privada

Rodrigo Andrade Publicado em 09/03/2019 - 16h48
Deputado federal Lincoln Portela visitou Itabira - Foto: Rodrigo Andrade/DeFato

“Naturalmente, na minha avaliação, é o que vai acontecer: vai ser privatizada”. A frase é do deputado federal Lincoln Portela (PR) sobre a BR-381. O parlamentar visitou Itabira neste sábado, 9 de março, e conversou com a imprensa e apoiadores de seu grupo político em um restaurante no bairro Amazonas.

Parlamentar próximo ao presidente Jair Bolsonaro (PSL), Lincoln Portela foi uma das principais vozes de apoio em ao capitão reformado em Minas Gerias durante as últimas eleições. Apesar de ainda não ter conversado com o chefe do Executivo sobre a BR-381, o republicano diz ter a opinião de que o futuro da rodovia mineira será o mesmo de outras estradas federais já concedidas à iniciativa privada no atual governo.

“Dificilmente isso deixará de acontecer. É o que está acontecendo com as rodovias federais brasileiras”, comentou o deputado federal, encorpando o que o ministro de Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas, já havia sinalizado ao governo mineiro no início deste ano.

Lincoln Portela afirmou também que no ano passado a bancada mineira da Câmara Federal liberou R$ 280 milhões em emendas para a BR-381. Este dinheiro, segundo explicou o parlamentar, foi gerenciado pelo Departamento Nacional de Infraestrutura e Transportes (Dnit), que determinou as prioridades da aplicação. “A verba era tanto para manutenção dos serviços quanto para a continuidade das obras”, disse o deputado.

Neste ano ainda não há previsão do quanto será disponibilizado de emendas para a rodovia que mais mata em Minas Gerais. Ele diz acreditar que o valor gire novamente em torno de R$ 300 milhões, mas isso dependerá se a BR-381 será ou não concedida à iniciativa privada.

Deputado Lincoln Portela falou à imprensa sobre BR-381, segurança pública, saúde e outros temas – Foto: Rodrigo Andrade/DeFato

Buracos e fiscalização

Questionado sobre a quantidade de buracos no trecho entre Itabira e Belo Horizonte, Lincoln Portela afirmou que fará um requerimento de informação ao Dnit, em nome da bancada mineira, para cobrar do departamento uma ação de conservação da via.

Sobre a fiscalização, o parlamentar defendeu que haja mais policiais rodoviários à disposição da malha federal em Minas Gerais. Ele alertou, no entanto, que a ação das autoridades não pode se transformar em uma indústria de multas. “Lamentavelmente, nós não temos asfalto de boa qualidade, não temos as balanças devidas e não temos a fiscalização devida. A fiscalização que nós temos é uma fiscalização que, infelizmente, acaba virando uma empresa de multas. Não que a pessoa não tenha que ser multada, por favor. Mas a gente não pode virar uma indústria de multas. Quem está errado que pague pelo erro, mas a orientação, a educação e a Polícia Federal nas estradas são fundamentais”, disse.

“Para se ter uma ideia, o efetivo da PRF em Minas Gerais é de 900 pessoas, mas nós temos apenas 180 pessoas nas rodovias do estado. Você pega aqueles que estão de férias, os que cumprem escala 12×36 e aqueles afastados, então, a gente fica, no máximo, com 180 a 200 pessoas para cobrir a maior malha viária do Brasil. Nós precisamos de ter um efetivo maior para fiscalização de rodovias federais em Minas Gerais”, finalizou.


Copy Protected by Chetan's WP-Copyprotect.