Quinta-feira, 25 de Abril de 2019
MORTES
Terceiro membro de mesma família é reconhecido entre vítimas de Brumadinho

Fauller Douglas da Silva, que deixou um filho de 2 anos e esposa, visualizou a última mensagem enviada pela mãe às 12h25 no dia 25 de janeiro

Publicado em 21/03/2019 - 12h19

Após quase dois meses da tragédia que matou mais de 210 pessoas em Brumadinho/ MG, devido ao rompimento de uma barragem de minério da Vale, famílias continuam com esperança para encontrar desaparecidos. A servente escolar Doronei Sônia da Silva estava aguardando notícias do filho, o mecânico da Vale Fauller Douglas da Silva, de 29 anos, até receber a confirmação da morte do rapaz. O nome de Fauller consta da última relação de vítimas fatais identificadas pela Polícia Civil e que foi divulgada na noite de ontem, quarta-feira, dia 20, totalizando 210 óbitos. Outras 96 continuam desaparecidas. 

O mecânico morava em Mário Campos, cidade próxima a Brumadinho, e é a terceira vítima da mesma família morta no rompimento da barragem da Vale. O padrasto de Fauller, o mecânico Joildo da Cruz, de 42, além do enteado perdeu o cunhado Carlos Augusto dos Santos, soldador de 49, e o sobrinho também mecânico, Cássio Cruz, de 26. Os corpos dos dois também já foram identificados.

Nas últimas horas, familiares e amigos de Fauller postaram nas redes sociais a tristeza pela perda, mas manifestaram o sentimento de alívio por terem conseguido a identificação do corpo. Desde o dia 25 de janeiro deste ano, o mecânico estava na lista de desaparecidos da tragédia. Dionizia Pereira, tia da vítima, postou uma foto de Fauller  na noite de ontem, lamentando sobre a perda e reafirmando que a presença dele na família jamais será esquecida.

Em depoimento, a mãe do mecânico contou sobre a angústia que estava vivendo nos últimos dias na busca por informações sobre o filho. “Pedi para olhar os corpos para ver se acho meu filho, mas alegaram que não posso, por causa do risco de contaminação e que não seria bom uma mãe ver essa cena. Mas eu preferia assim, tamanho é o meu desespero. Quero dar um ponto final nessa história, não importa a maneira”, declarou à imprensa local, dias após a tragédia. O mecânico, que deixou um filho de 2 anos e esposa, visualizou a última mensagem enviada pela mãe às 12h25 de sexta-feira, dia 25 de janeiro, minutos antes do rompimento da barragem.


Copy Protected by Chetan's WP-Copyprotect.