Quarta-feira, 17 de Julho de 2019
MINERAÇÃO
Talude em Barão de Cocais tem maior movimentação registrada até o momento

Estrutura na cava da Mina de Gongo Soco, da mineradora Vale, está a 1,5 km da barragem Sul Superior que se encontra em nível máximo de alerta por risco de rompimento

Publicado em 17/06/2019 - 15h27
Foto: Reprodução MGTV

O talude norte na cava da Mina de Gongo Soco, em Barão de Cocais, que está se desprendendo da parede da estrutura, teve a maior movimentação até agora. A informação foi dada pela Agência Nacional de Mineração (ANM) e pelo Corpo de Bombeiros em Minas, apesar de ambos os órgãos terem informações diferentes sobre o deslocamento.

Conforme informado nesta segunda-feira (17) pela ANM, a movimentação do talude chegou a 48,5 cm. O último dado divulgado pelo Grupo DeFato com base em informações da ANM, na data de 7 de junho, registrava 41,7 cm. Nesse intervalo de dez dias, portanto, houve um aumento de 6.8 cm.

Já o Corpo de Bombeiros informou que o deslocamento chegou a 56 cm no domingo (16). No entanto, a corporação ressaltou que essa movimentação aconteceu na porção inferior do talude. O Corpo de Bombeiros declarou ainda que este foi o maior deslocamento registrado até o momento e a tendência é de escorregamento lento e desagregado do paredão para o fundo da cava.

O talude tem 10 milhões de metros cúbicos e peso de 20 milhões de toneladas, o que daria para encher 606 mil carretas de dois eixos. No dia 14 de maio, a Vale informou sobre o deslocamento dessa estrutura. Naquela data, o temor era que o desprendimento causasse uma vibração suficiente para romper a barragem Sul Superior, localizada a 1,5 km da Mina de Gongo Soco. No entanto, no final do mês de maio, a mineradora reavaliou a previsão e informou que o talude estava se soltando aos poucos e que a tendência é de que não impacte na barragem, que já está em nível máximo de alerta de rompimento (3) desde o dia 22 de março.

 

 


Copy Protected by Chetan's WP-Copyprotect.