Terça-feira, 19 de Fevereiro de 2019
Respostas
Superintendente da Defesa Civil afirma que barragem em Barão de Cocais está monitorada

A evacuação das comunidades está controlada e aproximadamente 239 pessoas foram removidas

Carol Vieira Publicado em 08/02/2019 - 15h08

A comunidade rural do Socorro fica bem aos pés da Barragem Sul Superior, da Vale, que recebia os rejeitos da Mina do Gongo Soco, em Barão de Cocais. Há 15 km de distância do centro da cidade, a estrutura faz parte do complexo da Vale Mariana-Brucutu. Com 85 metros de altura, o reservatório possui capacidade de aproximadamente 6 milhões de metros cúbicos de rejeito. Esse volume equivale a 2.400 piscinas olímpicas cheias.

Complexo de barragens Sul Superior e Brucutu

De acordo com o superintendente de Gestão de Desastres da Defesa Civil de Minas Gerais, major Eduardo Lopes,  por causa do risco iminente de rompimento um posto de comando foi instalado no poliesportivo da cidade. A estrutura foi criada para alinhamento das ações que já foram feitas a partir da madrugada até o dado momento. Desde que a notificação de risco nível dois foi emitida, a Defesa Civil e outros agentes começaram a seguir com o planejamento de evacuação.

A Zona de Autossalvamento (ZAS), região que estende até 10 km da barragem, definida no Plano de Ação de Emergência de Barragens de Mineração (PAEBM), está quase toda evacuada. Segundo o major, linhas de frentes estão trabalhando com algumas pessoas resistentes à saída, além de assessorar no acolhimento das famílias realocadas. “O nível dois de alerta determina evacuação, para não haver pessoas no local. Caso aconteça um provável rompimento, o impacto desse desastre irá impactar essas residências”, afirma.

O superintendente explica ainda que permanecer em alerta nível dois significa que o  coeficiente de estabilidade da barragem está alto e que a estrutura está fragilizada. “Está sendo feito o monitoramento 24h por dia e a cada 4h será emitido um diagnóstico. O tempo de segurança até o rejeito chegar ao município é de 1h10 minutos depois de um eventual rompimento. Pensar nisso é precipitado, já que o rejeito tende a ficar ao longo do caminho, porém com o derrame no rio pode haver alteração do volume de água, semelhante ao que aconteceu em outras tragédias”, explica.

A barragem Sul Superior está a 15km do centro de Barão de Cocais

Cinco comunidades rurais já foram evacuadas e aproximadamente 239 pessoas removidas.“A gente trouxe uma certa tranquilidade porque as pessoas não estão mais concentradas às margens do Rio São João. A evacuação é com chances de rompimento e por isso pedimos a população que respeite e compreenda as orientações para não irem e nem permanecerem na região”, ressalta o major.

O rio está a 1.200 metros de distância da barragem e com a possível inundação comunidades ribeirinhas serão atingidas. Ações isoladas para retirar os animais domésticos das residências também estão sendo realizadas.


Copy Protected by Chetan's WP-Copyprotect.