Sexta-feira, 26 de Abril de 2019
INOVAÇÃO
Principal equipamento de apoio aos bombeiros em Brumadinho é fabricado em Itabira

Com dificuldade de se locomover sobre o rejeito em Brumadinho, bombeiros usam escavadeira anfíbia; equipamento moderno da Construtora Vale Verde é um dos únicos a se movimentar sobre a lama

Publicado em 11/02/2019 - 15h31

A tragédia de Brumadinho, uma das mais graves da história da mineração no país que vitimou mais de 300 pessoas, mobilizou equipes de resgate de várias partes do Brasil e do mundo. Um trabalho minucioso, desafiador, que exige muito empenho de cada bombeiro, policial e voluntário.

Em meio à lama do rejeito que desceu da barragem de Córrego do Feijão no dia 25 de janeiro e encobriu refeitório, casas, pousada e propriedades, um equipamento construído por uma empresa itabirana tem sido importante no trabalho dos profissionais que atuam na força-tarefa: a escavadeira anfíbia da Construtora Vale Verde.

A empresa enviou para Brumadinho dois equipamentos para auxiliar os bombeiros. Destinou também seus melhores operadores na missão de resgate. A escavadeira anfíbia tem sido útil porque tem esteiras grandes que permitem a locomoção sobre a lama com segurança. Os bombeiros sobem no equipamento e são levados a pontos antes inacessíveis por terra.

De acordo com os diretores da empresa, a escavadeira foi desenvolvida pelos próprios técnicos, engenheiros e projetistas da Vale Verde, visando atender à demanda do mercado da mineração em todo o Brasil. Projetada para trabalhos de drenagem em áreas de cursos d´água, lagoas e barragens, a máquina consegue “flutuar” em área alagadas e de lama. Ao todo, a construtora tem sete escavadeiras anfíbias.

Em entrevista ao Fantástico da Rede Globo, o tenente coronel Anderson Passos, comandante do Corpo de Bombeiros, comentou sobre o apoio das máquinas. “É um equipamento muito importante nessa etapa da missão porque ele consegue deslocar pela lama bastante umedecida, revolver o solo, alcançar certas áreas que até então estávamos com dificuldade pelo deslocamento terrestre. A lama, na consistência que está nesses pontos, não permite nadar, mas também não permite caminhar”, disse o comandante. Outros meios de imprensa também noticiaram o trabalho das escavadeiras na busca por vítimas em Brumadinho.

As equipes que trabalham no local usam imagens gravadas antes da tragédia para definir como serão concentrados os esforços. No total 22 pontos recebem atenção especial dos bombeiros, policiais e voluntários. Mais de 400 homens trabalham em busca de corpos de pessoas ainda desaparecidas.

Para o diretor da Vale Verde, Hugo Soares, as equipes da empresa enviadas ao local do desastre estão motivadas e empenhadas em fazer o melhor. “Nossos colaboradores sabem que não foram lá fazer uma obra. Foram escolhidos para uma missão. Saber que nossos equipamentos estão ajudando no trabalho de resgate é, de certa forma, gratificante”, afirmou. Desde que as equipes da Vale Verde chegaram à área do rompimento da barragem vários corpos foram resgatado.


Copy Protected by Chetan's WP-Copyprotect.