Sexta-feira, 26 de Abril de 2019
MINERAÇÃO
Presidente do Ibram renuncia ao cargo duas semanas após tragédia de Brumadinho

Assessoria do órgão, no entanto, não confirmou se saída está atrelada a mais um desastre na mineração

Publicado em 04/02/2019 - 17h35
Jerson Kelman não ficou nem mesmo um mês à frente do Ibram - Foto: Divulgação

O engenheiro Jerson Kelman renunciou à presidência do Instituto Brasileiro de Mineração (Ibram), entidade que representa os interesses das empresas do setor. A saída foi oficializada na última sexta-feira, 1º de fevereiro, duas semanas após o rompimento da Barragem I da Mina Córrego do Feijão, da Vale, em Brumadinho.

Até a tarde desta segunda-feira (4), segundo o Corpo de Bombeiros de Minas Gerais, foram localizados 134 corpos em meio ao rejeito que destruiu a área da mineradora e comunidades vizinhas à mina. Desse total, 120 já foram identificados e outros 14 ainda aguardam reconhecimento oficial. Há ainda 199 pessoas consideradas desaparecidas.

A assessoria do Ibram, no entanto, não confirmou se a saída do executivo está relacionada a mais uma tragédia envolvendo a mineração no Brasil.

Kelman não ficou nem mesmo um mês no cargo. Ele havia sido eleito em 18 de janeiro, por unanimidade, para ocupar o lugar de Walter Alvarenga.

Natural do Rio de Janeiro, Jerson Kelman foi presidente da Sabesp e do Grupo Light, diretor-geral da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) e presidente da Agência Nacional de Águas (ANA) antes de assumir o Ibram.


Copy Protected by Chetan's WP-Copyprotect.