Sexta-feira, 26 de Abril de 2019
ESPERA
Prefeito de Barão de Cocais lamenta falta de informação detalhadas sobre barragem

A previsão para os moradores retornarem às residências depende da emissão de laudos que assegurem a estabilidade da estrutura na região.

Carol Vieira Publicado em 08/02/2019 - 17h47

Os hotéis de Barão de Cocais estão com lotação máxima depois do alerta sobre os riscos de rompimento da barragem da Vale. Comunidades rurais foram retiradas de suas casas e realocadas em hospedagens em Santa Bárbara e Caeté. A previsão para os moradores retornarem às residências depende da emissão de laudos que assegurem a estabilidade da estrutura na região.

Em entrevista, o prefeito Décio Geraldo dos Santos disse que as ações realizadas pela Defesa Civil e Vale são cautelares. “Evacuamos as áreas de Autossalvamento, mas tudo de forma preventiva. Não temos nada oficial ainda sobre a estabilidade ou não da barragem. Estamos esperando uma nota da mineradora e precisamos de laudos técnicos. A prefeitura e Defesa Civil estão acompanhando o trabalho”, afirma

Além da busca por respostas, Décio ressalta que existe um temor em relação à situação da barragem. “A gente fica preocupado com a vida das pessoas e estamos fazendo de tudo para garantir a segurança de todos. Apesar de a barragem estar na lista da Vale, oficialmente não passaram nada sobre isso pra gente”, comenta.

A lista mencionada pelo prefeito é referente ao comunicado da mineradora sobre as dez barragens de rejeito em Minas Gerais que serão desativadas. As estruturas foram construídas pelo método de “alteamento a montante”, formato também das barragens de Mariana e Brumadinho. A mineradora também informou que vai encerrar definitivamente o uso da área em que elas estão.

Mais de 200 pessoas foram atendidas no poliesportivo de Barão de Cocais no ponto de apoio e acolhimento. Foram encaminhados para o local profissionais da área de saúde, como psicólogos, e também foram entregues medicamentos e alimentos básicos.

Para o presidente da Câmara dos Vereadores, João Batista, a falta de informação sobre a real gravidade da situação é o motivo do caos instaurado na cidade. “A sirene já causa um pânico. Ficamos preocupados com a situação desde o início dela,  estamos vivendo o meio e não sabemos qual será o fim. A Vale vem dando total assistência a princípio, a gente preocupa com a realidade para termos informação completa. Nós vamos tomar as medidas cabíveis e, durante a semana, pedir a empresa respostas”, conclui.

Em nota encaminhada à imprensa e aos moradores, o prefeito afirma que a Vale acionou as sirenes após as últimas observações detectarem o Nível 2 de risco da barragem. A informação inicial é de que há um “desnível na estrutura”.


Copy Protected by Chetan's WP-Copyprotect.