Domingo, 18 de Fevereiro de 2018
Manabi pede licenciamento para construir mineroduto

Sede da Manabi, em Morro do Pilar, cidade que receberá maior parte dos investimentos da mineradora

Publicado em 10/12/2012 - 11h56

A mineradora Manabi, que tem projetos para explorar minério de ferro em Morro do Pilar e em Santa Maria de Itabira, avança com os processos de licenciamento para implantação das minas e da estrutura de escoamento da produção. Em entrevista a DeFato Online na última sexta-feira, 7 de dezembro, o prefeito de Conceição do Mato Dentro, Reinaldo César de Lima Guimarães (PMDB), o Reinaldinho, disse que a empresa pediu licenciamento ambiental ao município para construção do mineroduto.

“A Manabi nos apresentou essa semana um pedido de licenciamento e enviamos à secretaria de meio ambiente para estudos pertinentes”, afirmou o prefeito. O pedido feito a Conceição do Mato Dentro diz respeito à passagem do duto em parte do município, região que abrange os distritos de Brejaúba e Nossa Senhora do Socorro. Os distritos ficam no chamado braço sul de Conceição e limitam com os municípios de Carmésia, Ferros, São Sebastião do Rio Preto, Santo Antônio do Rio Abaixo e Morro do Pilar. O mesmo procedimento está sendo feito em outros municípios afetados pelo empreendimento.
 
Água
 
Segundo fontes ligadas à empresa e aos municípios integrantes do projeto, a Manabi já tem duas outorgas (licenças que autorizam a captação de água) em dois rios na região de Morro do Pilar: no rio Preto e no Santo Antônio. Juntas, as licenças somam uma vazão de 819 litros por segundo (l/s), sendo 718 l/s no rio Santo Antônio e 101 l/s no rio Preto.
 
As autorizações foram concedidas pelo Instituto Mineiro de Gestão das Águas (Igam) em 2011 e valem até 16 de janeiro de 2016. As captações, além de alimentar o mineroduto, devem servir também às usinas de beneficiamento do minério. Para se ter uma ideia da quantidade de água, uma comparação: todos os mananciais que abastecem Itabira somam 388 l/s. A vazão concedida à empresa daria para abastecer quase três cidades do tamanho da de Drummond.
 
Projetos
 
Os investimentos previstos da Manabi em Morro do Pilar e em Santa Maria de Itabira somam US$ 4,1 bilhões. Do total, US$ 3,4 bilhões serão destinados ao projeto em Morro do Pilar, município com cerca de quatro mil habitantes que concentra quatro direitos minerários da empresa. O processo ainda está em fase de sondagem, mas já se sabe que a produção será destinada à exportação.
 
A exploração da serra do Morro Escuro, em Santa Maria de Itabira, será menor, destinada ao mercado interno. O projeto receberá um aporte de US$ 721 milhões. As duas minas somam cerca de 1,5 bilhão de toneladas de recursos minerais, podendo chegar a dois bilhões em potencial exploratório. A expectativa é que as operações comecem em 2016, com produção estimada de 31 milhões de toneladas por ano.
 
O projeto Morro do Pilar compreende uma mina, uma usina de beneficiamento de minério de ferro e rede de escoamento da produção, composta por um mineroduto e um terminal portuário em Linhares (ES). O mineroduto terá 530 km de extensão e ligará a mina ao Porto Norte no litoral capixaba.
 
A produção do projeto Morro Escuro, em Santa Maria de Itabira, visa a usinas siderúrgicas, como ArcelorMittal, Usiminas, Gerdau, e empresas de mineração, como a Vale. As explorações na cidade serão compostas de uma mina e uma usina de beneficiamento. O escoamento da produção deverá ser feito, inicialmente, por rodovias já existentes que ligarão o complexo às cidades de Ipatinga e Itabira, alcançando clientes nacionais ou utilizando o terminal ferroviário da EFVM. 

Copy Protected by Chetan's WP-Copyprotect.