Segunda-feira, 20 de Maio de 2019
PATRIMÔNIO
Patrimônio cultural recebe intervenções estruturais em Santa Bárbara

O local histórico foi inaugurado no dia 13 de junho de 2009

Publicado em 24/10/2018 - 16h01

O Memorial Affonso Penna, na cidade de Santa Bárbara está fechado para restauração. A obra tem previsão para durar até seis meses e está sendo realizada por meio de recursos fornecidos pelo Ministério Público de Minas Gerais, através do Termo de Ajustamento de Conduta (TAC).

A Secretaria de Turismo, Cultura e Desenvolvimento Econômico, que funciona no local, foi realocada para o Patronato da cidade. Assim que concluía as intervenções, a secretaria retorna para o local de origem.

Entre as etapas da reforma estão o restauro do telhado e a pintura do Memorial. Após este período, o patrimônio será reaberto também para visitação.

Sobre o Memorial

A Casa Grande, que sedia o Memorial Affonso Penna, está localizada no complexo do Centro Histórico de Santa Bárbara. Além de ser um exemplar da arquitetura colonial, possui grande relevância histórica e simbólica para os santabarbarenses, já que nela nasceu, em 30 de novembro de 1847, o presidente Affonso Augusto Moreira Penna.

A casa mostra-se como uma evolução das típicas residências do período colonial. Suas características e tipologia arquitetônica datam possivelmente do séc. XVIII, com características marcantes do início do séc. XIX, como janelas com vergas em madeira alteadas, porão habitável, janelas em guilhotina e vidro, um número considerável de aberturas e pé direito alto.

No Memorial, inaugurado em 13 de junho de 2009, o visitante tem a oportunidade de conferir vários jornais com notícias da trajetória política do presidente, livros diversos e quadros retratando a família. Além disso, objetos pessoais como uma pasta de couro que Affonso Penna utilizava no Palácio do Catete, Rio de Janeiro, nos despachos com seus ministros, e seu binóculo chamam a atenção de quem passa pelo Casarão.

O bisneto do presidente, Affonso Augusto Moreira Penna, ou Affonso Penna bisneto, também doou ao Memorial documentos históricos valiosos, como a cópia de um ofício que o presidente enviou, em 15/11/1906, ao Imperador chinês, informando sua posse na presidência do Brasil e formulando votos para o estreitamento das relações diplomáticas, comerciais e culturais entre Brasil e China. O ofício original está guardado no Museu Imperial de Pequim, na China.


Copy Protected by Chetan's WP-Copyprotect.