Terça-feira, 19 de Fevereiro de 2019
BARRAGEM
Juíza suspende expediente no fórum de Barão de Cocais e fala em “risco iminente” de rompimento da barragem

A magistrada comunicou a decisão ao Ministério Público e à Ordem dos Advogados do Brasil (OAB).

Publicado em 08/02/2019 - 10h28

A juíza Renata Nascimento Borges, da comarca de Barão de Cocais, suspendeu o expediente e determinou o cancelamento de todas as audiências marcadas para esta sexta-feira, dia 8 de fevereiro, no fórum municipal. Na portaria 001/2019, a magistrada informa que tomou a medida em função do “risco iminente de rompimento da barragem de rejeitos de mineração da Mina de Gongo Seco”.

Renata Nascimento diz que tomou a decisão depois de procurar a Defesa Civil local, que confirmou o risco de rompimento da barragem, com afetação das áreas próximas ao rio que atravessa a sede do município de Barão de Cocais. O Fórum Desembargador Omar Avelino Soares está localizado à beira do rio.

A juíza também dispensou os servidores do trabalho hoje, uma vez que o expediente foi suspenso. Ela decidiu ainda transferir todos os prazos processuais marcados para hoje para o próximo dia útil, ou seja, a segunda-feira, dia 11. A juíza comunicou a decisão ao Ministério Público e à Ordem dos Advogados do Brasil (OAB).

Na madrugada de hoje, sirenes tocarem na Barragem Sul Superior, na Mina do Gongo Soco, em Barão de Cocais. Cerca de 500 pessoas foram levadas para o ginásio poliesportivo da cidade. A empresa decidiu ainda dispensar os funcionários da Mina de Brucutu, localizada no município de São Gonçalo do Rio Abaixo, de comparecerem ao trabalho hoje, orientando que fiquem em casa.

A Vale informou em nota que decidiu pela evacuação após a empresa de consultoria Walm negar a Declaração de Estabilidade da Estrutura. Com isso, a ANM (Agência Nacional de Mineração) determinou a evacuação do entorno.


Copy Protected by Chetan's WP-Copyprotect.