Sexta-feira, 19 de Julho de 2019
MOVIMENTO
Itabira terá manifestação pró-Bolsonaro no domingo

Grupo se reunirá na Praça Acrísio Alvarenga, no Centro da cidade

Publicado em 23/05/2019 - 11h54

As manifestações convocadas em todo Brasil para o dia 26 de maio em favor de medidas do governo de Jair Bolsonaro terão eco também em Itabira. O movimento no próximo domingo se concentrará na praça Acrísio Alvarenga, no Centro da cidade, a partir das 9h.

De acordo com um dos integrantes do movimento, Tiago Mendes, a manifestação em Itabira terá quatro pautas principais: a manutenção da Medida Provisória (MP) 870, que trata da reforma administrativa e perde a validade em 3 de junho (se caducar, Bolsonaro teria de recriar até 10 ministérios); apoio à Reforma da Previdência; apoio ao pacote anticrime do ministro Sérgio Moro; e apoio à CPI da Lava Toga, para investigação ao Supremo Tribunal Federal (STF).

Segundo Tiago Mendes, o ato é coordenado pelo grupo Direita Minas Itabira, com participação do Direita Itabirana. “É um movimento que está sendo articulado no Brasil todo e que também teremos em Itabira com pautas muito bem definidas”, comenta Tiago, que diz ainda que a adesão ao ato está boa em Itabira. “Já temos lideranças religiosas e políticas confirmadas, além da população.”

Entenda as pautas

Reforma da Previdência

A proposta de emenda à Constituição (PEC) que trata da mudança nas regras de aposentadoria está na Comissão Especial na Câmara dos Deputados. Antes, passou pela Comissão de Constituição e Justiça da mesma Casa. A estimativa do governo é de que a Reforma da Previdência economize R$ 1 trilhão em dez anos. Veja aqui as principais mudanças!

Pacote anticrime

O ministro da Justiça e Segurança Pública, Sérgio Moro, apresentou no início de fevereiro um projeto de lei para fortalecer o combate à corrupção, aos crimes violentos e à criminalidade organizada (veja aqui!). A proposta altera leis e o Código Penal. Até o momento, o projeto está na Câmara e não foi votado. Não passou por nenhuma comissão ainda. 

Medida Provisória 870

A Medida Provisória 870, da reforma administrativa, diminuiu o número de ministérios de 29 para 22. Ela é válida até 3 de junho e, se não for votada, perde a validade. A medida colocou o Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf) na alçada do ministro da Justiça e Segurança Pública, Sérgio Moro, mas deputados devolveram o órgão ao Ministério da Economia em votação nessa quarta-feira, 22 de maio. A discussão segue no plenário da Câmara Federal.

CPI Lava Toga 

Grupos de direita à frente dos protestos defendem que uma parcela do Judiciário nacional, sobretudo do STF, atua de maneira política e não técnica. A CPI seria para investigar eventuais abusos. Em março, senadores chegaram a protocolar um requerimento com 29 assinaturas para criar a comissão, mas a medida não é bem vista pelo presidente da Casa, Davi Alcolumbre (DEM – AP), que aponta um “desgaste desnecessário entre os poderes”.


Copy Protected by Chetan's WP-Copyprotect.