Quarta-feira, 17 de Julho de 2019
MEDIDA SÓCIO-EDUCATIVA
Adolescentes acusados de sequestro em Itabira são levados para centros de internação

Comandante do 26º Batalhão também falou sobre o segundo caso de sequestro, registrado 48 horas depois do primeiro, quando uma dentista foi levada pelos criminosos

Tatiana Santos Publicado em 03/05/2018 - 19h19
Adolescentes foram apreendidos pela PM após sequestro - Foto: Divulgação

Nas últimas 48 horas, a população acompanhou assustada a dois sequestros-relâmpagos em Itabira. Na madrugada de 1º de maio, terça-feira, o jovem engenheiro Mauricio Silveira, 25 anos, foi vítima de cinco adolescentes, que o levaram quando esperava a namorada no portão da casa dela, no bairro Caminho Novo. Os bandidos o prenderam no porta-malas do próprio carro e depois amarraram sua cabeça, mãos e pés. Foram quatro horas de terror até a chegada da Polícia Militar.

Já na noite dessa quarta-feira, 3 de maio, a dentista Jane Gazire, 54, foi abordada por bandidos quando pegava seu veículo após o trabalho, no Centro de Itabira. Eles levaram a caminhonete Hilux com a mulher dentro. A vítima foi deixada pelos criminosos em Ravena, em local ermo, às margens da BR-381, sendo ajudada por um casal, até a chegada dos militares.

De acordo com o comandante do 26º Batalhão da Polícia Militar, tenente-coronel Hudson Ferraz, os crimes têm motivações bem particulares e não possuem ligação entre eles. No primeiro caso, a polícia confirmou que os jovens possuem ficha criminal pela prática de diferentes delitos nos últimos 30 dias em Itabira.

Comandante da PM de Itabira, tenente-coronel Hudson Ferraz – Foto: Tatiana Santos/DeFato

O comandante comentou que os autores “são menores que aproveitam da benevolência da lei, que é incompatível com as necessidades da sociedade, não somente em Minas Gerais e no país, e promovem essa sensação de que se pode fazer tudo”. O militar informou que nesta quinta-feira, 3 de maio, saíram vagas de internação, conquistadas através do Ministério Público de Itabira, para os envolvidos no sequestro do engenheiro. Três dos acusados estão sendo encaminhados a um centro de internação em Belo Horizonte e os outros dois para Teófilo Otoni.

Em entrevista a DeFato Online nessa quarta-feira, 2 de maio, o engenheiro Maurício Silveira contou que ouviu os adolescentes comentando sobre a possibilidade de matá-lo enquanto estava amarrado no porta-malas. Para o comandante da PM, no entanto, os envolvidos não chegariam a esse extremo. O tenente-coronel acredita que eles tinham a intenção apenas de levar o veículo. Ele voltou a criticar a falta de punições mais efetivas aos menores.

“São essas situações que nos trazem extrema preocupação, a partir do momento em que daqui a pouco essa internação vai ter uma validade e eles vão retornar para Itabira e cometer novos delitos”, lamentou. Atualmente, a legislação brasileira não permite que a internação de menores passe de 45 dias, exceto em crimes hediondos, quando pode chegar a 3 anos.

Revenda do veículo

No caso da dentista que foi levada por dois bandidos, pelos levantamentos da polícia, eles já estavam monitorando um determinado tipo de veículo e aproveitaram da situação de o carro estar em local pouco iluminado, com poucas pessoas próximas, para cometer o crime. Segundo Ferraz, os criminosos tinham o objetivo de levar o automóvel para revendê-lo em Belo Horizonte. Conforme os levantamentos policiais, houve desacordo na entrega do veículo, fazendo com que retornassem sentido BR-381, deixando a vítima em Ravena.

“A Polícia Militar já tem algumas informações que remetem ao modus operandi (forma de atuação), ao possível local de contato e outras informações que estão sendo coletadas em outros pontos, desde Belo Horizonte até o município de Caeté”, explicou. Esses dados devem levar à autoria e consequente prisão dos autores.


Copy Protected by Chetan's WP-Copyprotect.