Terça-feira, 18 de Junho de 2019
PREJUÍZO
“A ficha ainda não caiu”, diz treinador itabirano que viu box de CrossFit ser destruído pela chuva em João Monlevade

Direção e alunos organizam uma vaquinha virtual para arrecadar dinheiro e reconstruir o centro de treinamentos

Publicado em 07/04/2019 - 11h30
Box de CrossFit foi destruído pela chuva - Foto: Divulgação

O sábado que geralmente é de atividades físicas e disposição no box de CrossFit Intense Fitness, em João Monlevade, foi de consternação e reparação de danos para a direção e alunos nesse 6 de abril. O centro de treinamentos foi invadido pela água da chuva forte que caiu sobre o município na noite anterior e teve boa parte de seus materiais destruídos.

“Muito complicado. Parece que a ficha ainda não caiu”, comenta o coach Geraldo Lúcio Pires Silva (Gegê). Itabirano, ele é um dos sócios no box da cidade vizinha. “Encontramos o box todo desconfigurado. O balcão da recepção no meio da arena, os pisos todos soltos, marca de água a mais de um metro. Computadores, máquinas de cartão, celular, impressora, ar condicionado portátil, perdemos tudo. Tudo que estava mais baixo, nós perdemos”, relata.

Gegê estava em Belo Horizonte quando foi avisado pelo sócio sobre o ocorrido em João Monlevade. Ele imediatamente viajou de volta. Por causa de um acidente, entrou em São Gonçalo do Rio Abaixo, passou por Itabira e chegou à cidade vizinha pela estrada do Forninho. Logo quando chegou, no acesso para a avenida Getúlio Vargas, por volta das 3h40 da madrugada, já viu pedaços de materiais espalhados pela via.

“A água entrou e arrombou a porta. Estava muito forte, empenou uma porta de aço e entrou por baixo. Inundou o box e quando a chuva passou a água diminuiu e as coisas saíram boiando”, conta o educador físico. De acordo com ele, a espessura do barro no chão do box chegava a quase dez centímetros. “Estava difícil até de andar”, completa.

No sábado, um grupo de alunos de Itabira e João Monlevade fez um mutirão para ajudar a limpar o box. Eles contaram com auxílio da Prefeitura, que cedeu um caminhão-pipa para os trabalhos dentro do centro de treinamento e tratores para retirar o barro do lado fora.

Neste domingo, Gegê e outras pessoas voltam a Monlevade para remontar as estruturas que a chuva não destruiu. Apesar de ainda não ter calculado os danos, o coach acredita que os prejuízos cheguem a R$ 40 mil. Para ajudar na reconstrução do box, foi criada uma vaquinha virtual para arrecadar fundos. Contribuições podem ser feitas clicando aqui!

Box foi limpo depois de mutirão de alunos – Foto: Divulgação

“Graças a Deus, foram só perdas materiais. Agora é trabalhar para reconstruir”, finaliza o educador físico Geraldo Lúcio.


Copy Protected by Chetan's WP-Copyprotect.