Quinta-feira, 23 de Outubro de 2014 -
PLANO MUNICIPAL

Cidade terá áreas de risco mapeadas até agosto

27/02/2013 17h02
Rodrigo Andrade
RODRIGO ANDRADE/DEFATO
Engenheiro Leonardo Andrade de Souza apresentou diretrizes do Plano
Galeria de fotos
Bom público compareceu à audiência pública / Rodrigo Andrade/DeFato
Prefeito Damon enfatizou importância da prevenção / Rodrigo Andrade/DeFato
Secretário interino Jader Magalhães destacou importância do planejamento / Rodrigo Andrade
Prefeito e secretário interino receberam diretrizes do Plano Municipal / Rodrigo Andrade

Técnicos da Fundação Israel Pinheiro (FIP) e do governo de MInas Gerais estiveram em Itabira na tarde desta quarta-feira, 27 de fevereiro, para apresentar algumas diretrizes do Plano Municipal de Redução de Risco. Por meio dele, serão mapeadas todas as áreas que apresentam riscos de desastres em caso de fortes chuvas. O trabalho está sendo desenvolvido desde agosto do ano passado e tem prazo para ficar pronto até agosto deste ano. 

O Plano Municipal de Redução de Risco é desenvolvido pela FIP desde que a cidade conseguiu junto ao Governo do Estado e ao Ministério das Cidades, do Governo Federal, verba para execução desse trabalho. De acordo com o engenheiro geólogo Leonardo Andrade de Souza, responsável técnico pelo plano, esse trabalho é essencial para que o município consiga se prevenir de tragédias e ainda tenha a noção exata do quanto é necessário investir para conter os riscos. 

A apresentação das diretrizes do Plano foi realizada no auditório da Prefeitura e contou com grande público, formado, em maioria, por líderes comunitários. Leonardo explicou que técnicos da FIP já percorreram algumas áreas indicadas pela Defesa Civil e que a partir de agora vão a novos destinos. A pausa nos trabalhos se deu por causa da troca de administração no município. 

A previsão é de que até o final de março, ou início de abril, todas as áreas já tenham sido percorridas pelas equipes. Sobrará, então, o trabalho da confecção do mapa de risco. O engenheiro, porém, deixou claro que é preciso ir além. "Não adianta fazer um trabalho cujo único resultado é um mapa colorido. Esse plano também indica algumas medidas que devem ser tomadas pelo poder público. Reforçar as equipes de Defesa Civil é uma delas", comentou. 

Ao fim da audiência pública, algumas pessoasse inscreveram para participar de um curso de qualificação sobre como agir em casos de emergências que deve ser ministrado no próximo mês. Ao fim dos trabalhos, uma nova audiência pública será marcada para apresentar o Plano por completo. 

Prevenir

O prefeito Damon Lázaro de Sena (PV) participou rapidamente da apresentação e recebeu das mãos da representante do Governo do Estado, Joyce Bona, uma cópia das diretrizes do Plano Municipal de Redução de Risco. Imediatamente, o chefe do Executivo repassou o documento ao secretário interino de Desenvolvimento Urbano, Jader Magalhães, e brincou: "a responsabilidade é sua". 

Em breve discurso, o prefeito alertou para a importância do trabalho desenvolvido pela Fundação Israel Pinheiro (FIP). "Prevenir é sempre a melhor opção. Estou muito satisfeito de ver esse trabalho em andamento em Itabira", comentou. O secretário interino, Jader Magalhães, também destacou a necessidade do bom plenejamento. "A chuva é benção. Nós é que planejamos mal as cidades. Precisamos pensar e criar decisões para melhorar a ocupação no município", afirmou. 

Se você não tem Facebook, utlize o formulário abaixo para comentar.
27/02/2013 - 20h18
Fernando Moreira
Itabira - MG
Como Geógrafo e Presidente da Associação de Amigos do Bairro São Francisco eu gostaria muito de participar dessa importante Palestra com os técnicos da Fundação João Pinheiro sobre o Mapeamentoplano de habitação das áreas de riscos de Itabiracomo outras cidades com relevo acidentado,Itabira tornou-se área vulnerável de encosta para a épóca de chuva que se aproxima.Nada adianta um levantamento dessa magnitude se não existe Plano de Ação para Itabira,tem que existir verba definida para retirar esta população carente da área de risco,não adianta ficar só no 7.1,pode acontecer o que aconteceu com a Boate em Santa Maris-RS, e depois que a casa foi roubada não adianta colocar fechadura,temos que ser preventivos
1 0
Novo comentário
Sou cadastrado
Não sou cadastrado
Comentário
Leia mais em: Cidade
Mais
Emprego