Sexta-feira, 24 de Novembro de 2017 -
DANIEL LANÇA E GABRIEL QUINTÃO

Itabiranos são selecionados para participar de rede nacional de discussão política

15/02/2017 08h00
Alexandre Santos
DEFATO
Daniel Lança e Gabriel Quintão irão integrar a Rede de Ação Política pela Sustentabilidade (RAPS)

O advogado Daniel Lança e o secretário-adjunto de Esportes, Lazer e Juventude da Prefeitura de Itabira, Gabriel Quintão, foram selecionados em meio a 1200 inscritos para entrarem na Rede de Ação Política pela Sustentabilidade (RAPS). O grupo é formado, principalmente, por jovens lideranças políticas e empreendedores cívicos, incluindo pessoas que já atuam na política ou que querem entrar.

A rede foi criada após as eleições de 2010 e ampliada em 2013, quando surgiram as primeiras manifestações políticas em diversas cidades do Brasil. O grupo é apartidário e reúne jovens do PSOL, PT, PSC, PSDB, entre outros, além de militantes da Central Única dos Trabalhadores (CUT) e Movimento Brasil Livre (MBL).

Dentro da rede existem os Líderes RAPS, Empreendedores Cívicos e Jovens RAPS. Daniel foi selecionado como Empreendedor e Gabriel como Jovem. Em encontros mensais ou quinzenais, realizados por todo o Brasil, os integrantes da rede trocam ideias e fazem contatos com outras pessoas da área. O processo de seleção, sem indicação política, engloba análise de currículo, conferência por telefone e Skype e aprovação pelo Conselho de Administração.

Gabriel Quintão explicou como funciona a RAPS. “É um intercâmbio mesmo que você faz e aumenta o network. Você tem jovens de todos os lugares, como Curitiba, São Paulo, Rio de Janeiro, Acre, Manaus. E o mais legal de lá é a questão da diversidade. Através disso você consegue entrar em consensos. Você entende que não tem como concordar com todo mundo, mas vai conseguir um consenso pra ver o caminho que pode ser seguido. E lá se pensa formas de desenvolver a política sustentável. Quando fala em sustentável, não entra só na questão da sustentabilidade em si, entra também o desenvolvimento sustentável, da forma de gerir a política com as pessoas de forma correta, democrática, participativa”, contou.

Já Daniel Lança reforçou que não é preciso ser político para participar. “A razão de ser da RAPS, basicamente como o próprio nome diz, é criar uma rede de pessoas, especialmente jovens. Então 95% dos membros são jovens, que tem algum tipo de atuação política no Brasil, não necessariamente partidária. Ou seja, não sou necessariamente candidato a vereador, deputado. Mas sim pessoas que tem atuação com a política institucional”, explicou.

Atuando como secretário-adjunto municipal, Gabriel acredita que pode trazer ideias para Itabira por meio da rede. “A minha participação lá dentro é para principalmente sugar tudo de positivo que eu puder para trazer aqui para a cidade. Acho que a RAPS vai me trazer a questão do intercâmbio cultural, de informações. As vezes eu tenho uma visão dentro de Itabira, dentro de Minas Gerais, mas quando você leva isso para outro lugar é muito maior. Principalmente quando falamos de cases de gestão pública. Vou ter oportunidade de presenciar implantações de sucesso”, disse.

Daniel Lança valorizou a qualidade das pessoas que integram a RAPS. “É um grupo qualificado, são vários prefeitos, como o Napoleão Bernardes, que é de Blumenau, e o Eduardo Leite, que terminou o mandato como prefeito de Pelotas. É uma geração nova que chegou para a política com uma visão completamente diferente da passada. Entende muito bem o uso da tecnologia em prol do cidadão, já vê transparência como uma questão certa. A gente já faz parte de um geração absolutamente transparente, que se relaciona muito bem com as mídias sociais e o uso de aplicativos para aproximar os governantes do cidadão”, afirmou.

Encontro

Na próxima sexta-feira, 17 de fevereiro, antes de um dos encontros da RAPS em São Paulo, Gabriel Quintão irá se encontrar com o secretário estadual de Esporte, Lazer e Juventude daquele Estado, Paulo Gustavo Maiurino. Ele disse que é mais uma oportunidade de intercâmbio. “Vou conversar com ele pra saber o que de ideia bacana a gente pode aproveitar. Claro que a proporção é diferente, a realidade é diferente, mas isso é o mais legal. Ver o que pode dar certo lá e que pode dar aqui também. Acho que o que mais vai contribuir para mim como uma pessoa da gestão pública no trabalho e na formação é essa ampliação da questão política. Hoje essa visão limitada acabou”, concluiu.

Novo modelo

Daniel Lança explicou que ele integra um novo movimento criado pela Raps, que engloba pessoas que trabalham diretamente com cargos da administração pública ou no poder legislativo. “No meu caso, por exemplo, eu tenho uma startup que presta serviços para governos, que chama Smartgov. O que a gente basicamente visa é melhorar a eficiência desses governos de uma maneira geral”, afirmou.

Se você não tem Facebook, utlize o formulário abaixo para comentar.
Você pode ser o primeiro a comentar.
Novo comentário
Sou cadastrado
Não sou cadastrado
Comentário
Leia mais em: Política
Mais
Emprego