Quinta-feira, 14 de Dezembro de 2017 -
CRISE NA MINERAÇÃO

Demissões diretas na Vale já passam de 200 em Itabira, diz Sindicato

12/05/2015 12h04
Tatiana Santos
SINDICATO METABASE
Encontro ocorreu na manhã desta terça-feira, 12 de maio, com aproximadamente 20 entidades que apoiam o movimento

O movimento Reage Itabira, encabeçado pelo Sindicato Metabase de Itabira e Região, convocou a imprensa itabirana para falar sobre a crise que assola o município. Os representantes divulgaram números oficiais das demissões nas minas da Vale em Itabira e região e também em outros setores econômicos. O encontro ocorreu na manhã desta terça-feira, 12 de maio, com a presença de aproximadamente 20 entidades que apoiam o movimento.

O presidente do sindicato, Paulo Soares, informou que do dia 2 de janeiro até o momento foram demitidos 2.872 trabalhadores, entre funcionários da Vale e terceirizados. Nesse período, somente na Vale foram Vale foram 211 pessoas mandadas embora até nessa segunda-feira, 11 de maio. Os números representam varianção de 497% a mais que o registrado no mesmo período do ano passado. Entre outubro e dezembro foram 87 demissões.

Juntas, as minas de Mariana, do Meio, Gongo Soco e Brucutu, tiveram um total de 300 funcionários que perderam seus cargos na empresa e mais de 800 das empreiteiras. No estado do Espírito Santo, segundo números parciais, já são quase 400 demissões em Tubarão.

Diante do preocupante cenário, Paulo Soares disse que já pediu uma reunião com o governador Fernando Pimentel (PT), provavelmente para os próximos 15 dias, para mostrar a situação e pedir ajuda. “Os números assustaram a gente porque estão em praticamente todas as minas. As demissões estão mais agressivas”, declarou o sindicalista.

Outros sindicatos

De acordo com representante do Sindicato da Construção Civil, de janeiro até agora, já foram 487 homologações. Já o representante do Sindicato dos Rodoviários declarou que, na categoria, foram dispensados 289 trabalhadores.

O diretor tesoureiro do Metabase, Carlos Roberto Assis Ferreira “Carlão”, declarou que já é possível observar pelo menos 50 equipamentos móveis da Vale parados nas minas, e que, segundo fontes, já existe um projeto de construção de uma transportadora que ligará duas minas, para reduzir os custos com funcionários.

Reflexos

O presidente da CDL, Maurício Martins, disse que, apesar da crise, o Dia das Mães teve boa movimentação. Porém, ele afirmou que o comércio acaba acompanhando a instabilidade econômica e os reflexos das dispensas. Já o presidente da Câmara de Vereadores, Solimar Silva (SD), lembrou que a grande preocupação é a falta de informações e respostas por parte da Vale. Ele acredita que, por uma questão de respeito, a mineradora deveria se posicionar.


Movimento Reage Itabira, encabeçado pelo Sindicato Metabase de Itabira e Região (Foto: Sindicato Metabase)

Se você não tem Facebook, utlize o formulário abaixo para comentar.
12/05/2015 - 22h59
sandra
Itabira
Acho tudo m grande teatro. Deveriam primeiro se informar sobre o que representa nossa bandeira. Representantes do povo e dos trabalhadores usando a bandeira, que representa nossa pátria, estendida como tapete.
0 0
12/05/2015 - 18h44
Luiz Fernando
Itabira
Povo mais sem noção. O símbolo máximo do patriotismo no chão!João Paulo está coberto de razão. Quem não respeita seus simbolos não tem noção do que quer. Pura chantagem emocional.
0 0
12/05/2015 - 16h17
Cristina
Itabira
Ai o exemplo, quem é demitido da VALE, sai e vai procurar serviço em outra cidade ,se Itabira fosse boa, acolheria os seus. São muitos anos de ganancia, ninguém se preocupou em criar empregos, só em ganhar, mas tudo tem início meio e fim.
0 0
12/05/2015 - 16h05
Cristina
Itabira
Assisti a reportagem sobre as demissões na cidade. Cidade sem atrativos, alto custo de vida, poucas opções, reage população não contra a VALE mas contra a administração, contra os empresários, contra o comércio, façam boicote a eles que por anos tem tirado o suor de seus rostos, povo trabalhador que só pagam impostos sem ter nada em troca, parem de se conformar com migalhas, tem cidades menores com menor arrecadação e muito mais muito melhor de se viver.
0 0
12/05/2015 - 15h37
Vandercy Menezes (Sil)
itabira
nao trabalho na vale mais estou muito sensibilizado com a situacao espero que a vale ofereca treinamentos, ferias coletivas, ferias premiadas,ferias antecipadas, cursos, entreterimentos e outras saidas e nao mande embora pois os empregados e os filhos dos que fizerao a maior mineradora do brasil nao merece cair em pedreçao pela passagem de uma crise. espero que a vale tenha equilibrio neste nomento que com Deus na frente sera passageiro basta ter sabedoria nao precisa de demitir pessoas que com seus salarios alimentam suas familias e fazem desenvolver uma cidade na quala vale nunca pode esquecer, e por ela ser sempre grato.
0 0
12/05/2015 - 15h18
José Zito de Brito
Itabira
O QUE DIZER AGORA DOS SINDICATOS,CDL CAMARA MUNICIPAL? QUANDO FOMOS DISPENSADOS DA CIA VALE NO GOVERNO COLOR EM 1991 NÃO TIVEMOS NENHUM APOIO, A RENDA ESTAVA BOA? ESTOU VENDO ISSO COMO UM GRANDE MARCO POLITICO PARA A PREFEITURA DE ITABIRA, VAMOS VER.
0 0
12/05/2015 - 15h13
José Zito de Brito
Itabira
O QUE VEJO É UMA GRANDE JOGADA POLITICA DOS PROXIMOS CANDIDATOS Á PREFEITURA DE ITABIRA POIS quando FOMOS DEMITIDOS DA CIA VALE NO GOVERNO COLLOR, EM 1991 NÃO RECEBEMOS NENHUM APOIO DO SINDICATO NEM DO CDL NEM DOS COMERCIANTES DE itabira. A RENDA ESTAVA BOA?
0 0
12/05/2015 - 14h09
LUIZ
ITABIRA
O sindicato esta certo a VAlE tem que manter este pessoal, lá atoa... Afinal ela é uma mãe!
34 14
14/05/2015 - 11h31
Alisson André
Itabira
Fico impressionada parece que em Itabira ninguém lê jornal, nenhum noticiário de TV, internet que é o veículo mais rápido das noticias pra fazer esta polêmica nas demissões da vale como se a crise fosse apenas aqui em Itabira.
0 0
12/05/2015 - 13h01
João Paulo das Dores Filho
Belo Horizonte
Sou de Itabira e trabalho em BH desde 2010 quando fui demitido da VALE.Uma coisa que não concordo e acho uma falta de respeito é usar a bandeira do Brasil como tapete.
46 18
Novo comentário
Sou cadastrado
Não sou cadastrado
Comentário
Leia mais em: Cidade
Mais
Emprego