Quarta-feira, 18 de Janeiro de 2017 -
ESTUDO DO SEBRAE

75,9% das pequenas empresas itabiranas sobrevivem no mercado

Dados são referentes aos anos 2012 e 2014, quando a fase mais forte da crise econômica ainda não havia atingido em cheio a cidade de Itabira
11/01/2017 09h17
DIVULGAÇÃO
Ideias de negócios do itabirano vão para frente na maioria dos casos, aponta estudo do Sebrae
Galeria de fotos
Lista das cidades com maiores índices de sobrevivências de micro e pequenas empresas em Minas Gerais / Divulgação Sebrae

Um estudo elaborado pelo Sebrae aponta que 75,9% das micro e pequenas empresas de Itabira conseguem sobreviver no mercado. A pesquisa, chamada “Sobrevivência das empresas no Brasil”, considera dados entre os anos de 2012 e 2014. Os dados apontam que a cidade de Drummond está abaixo da média nacional (76,6%) e de Minas Gerais (77,4%).

De acordo com o estudo do Sebrae, das 661 micro e pequenas empresas abertas em Itabira no ano de 2012, cerca de 500 ainda se mantinham abertas em 2014. Vale ressaltar que a pesquisa contempla números de antes da fase mais forte da crise que passou a assolar o Brasil e atingiu em cheio cidades mineradoras, como é o caso de Itabira.

Os fatores que contribuem para o fechamento das empresas no mercado são diversos, segundo a analista da Unidade de Inteligência Empresarial do Sebrae Minas, Venússia Santos. O estudo destaca que, antes da abertura do negócio, uma proporção maior de empreendedores que encerraram as atividades estavam desempregados, possuíam pouca experiência no ramo, abriram a empresa por necessidade, não planejaram ou tiveram menos tempo para planejar a empresa.

Após a abertura do negócio, os empresários tiveram dificuldades gerenciais, não conseguiram empréstimos em bancos, não aperfeiçoaram seus produtos/serviços, nem investiram na capacitação da mão-de-obra, inovando menos e deixando de lado o acompanhamento rigoroso de receitas e despesas. “A sobrevivência ou a mortalidade da empresa é definida por uma série de fatores, que atuam de forma individual ou simultaneamente”, justifica Verússia.

O estudo revela ainda as taxas de sobrevivência para os setores da economia. A Indústria e da Construção mineira tiveram as melhores taxas de sobrevivência, 79,8% e 78,3%, respectivamente. O Comércio chegou a 77,5% e Serviços com 76,3%. 

A cidade histórica de Ouro Preto é o município com a maior taxa de sobrevivência de micro e pequenas empresas do país. De cada 100 empresas da cidade, 86 permaneceram no mercado após os dois primeiros anos de existência. Outras 35 cidades mineiras ficaram acima da média nacional: Vespasiano, Santa Luzia, Sete Lagoas, Conselheiro Lafaiete, Betim, Ponte Nova, Divinópolis, Viçosa, Sabará, Ibirité, Contagem, Nova Serrana, Pouso Alegre, Itajubá, Timóteo, Lagoa Santa, Unaí, Barbacena, Araxá, Paracatu, Ipatinga, São João del Rei, Cataguases, Formiga, Juiz de Fora, Governador Valadares, Ubá, João Monlevade, Teófilo Otoni, Coronel Fabriciano, Ituiutaba, Alfenas, Lavras, Varginha e Ribeirão das Neves.

Justificativas

A pesquisa do Sebrae também verificou que, para 31% dos empresários brasileiros que fecharam o negócio em 2014, os principais motivos foram as despesas com taxas e impostos, os custos e os juros. Além disso, a baixa clientela e a forte concorrência também prejudicaram 29% dos entrevistados. Outros fatores incluem problemas financeiros, inadimplência e falta de linhas de crédito (25%), e problemas de gestão e de administração (25%).

Entre os empresários que encerraram suas atividades, 52% indicaram que a redução de encargos e impostos evitaria a mortalidade do negócio. Para 28%, o acesso a clientes, e para 21% o crédito facilitado também teriam impedido o fechamento das empresas.

Dez dicas de sobrevivência:

1) Planeje-se sempre;

2) Respeite sua capacidade financeira;

3) Não misture as finanças da empresa com as pessoais;

4) Fique de olho na concorrência;

5) Prospecte novos fornecedores;

6) Tenha controle do seu estoque;

7) Marketing não se resume a anúncio, invista em outras estratégias;

8) Inove, mesmo que seja um produto/serviço de sucesso;

9) Invista sempre na formação empresarial;

10) Seja fiel aos seus valores e aos do seu negócio.

Se você não tem Facebook, utlize o formulário abaixo para comentar.
11/01/2017 - 09h57
João Ubaldo Alvarenga
Itabira
Gostaria de ver esta pesquisa de 2015 e 2016 com crise econômica, crise Vale, crise Damon e tudo mais ...
4 2
Novo comentário
Sou cadastrado
Não sou cadastrado
Comentário
Leia mais em: Economia
Mais
Emprego